Por Keslley Cremonezi

Olá, meus amores? Como vão as coisas?

Vocês viram a resenha do livro Rio dos Ventos no Blog Leitores de Livros? A grande novidade é que eu consegui uma entrevista com o escritor Fabiano Alexandria, autor do livro para compartilhar com vocês. Espero que gostem.

Quando surgiu a ideia de escrever o livro Rio dos Ventos?
Há muitos anos sempre fui intrigado com a lenda do túnel em baixo da capela do Complexo São Francisco. Na época de garoto ouvi vários relatos de pessoas que diziam ter ido ver, e diziam ser misterioso, escuro, macabro e vários outros adjetivos do gênero. Numa excussão à fortaleza Santa Catarina na Cidade de Cabedelo o Guia fez referência a este túnel como rota de fuga de holandeses durante a invasão no Nordeste no início do século XVII. Então decidi realizar uma visita ao Complexo, até porque havia sido aberto a visitação depois de passar anos fechado para uma restauração.

Conheci a entrada do túnel. Minha cabeça foi a mil e achei que ali daria uma bela história, bastaria sentar e estudar como explorar a riqueza histórica do local e ambientar uma trama para os dias atuais.

Tem algum escritor como grande inspiração para escrever?
Sim, sou fã dos contos de mistério, desde Alan Poe, Agatha Christie e Conan Doyle até os atuais Dan Brown, Harlan Coben e James Patterson. São meus gêneros preferidos. Meu primeiro contato com este tipo de história foi quando adolescente. Conheci a obra um autor chamado Marcos Rey, e pensei… um dia vou escrever algo assim.

Além de Rio dos Ventos, tem outro projeto de publicação?
Estou com dois projetos sendo desenvolvidos: uma sequência para o livro Rio dos Ventos com a mesma dupla de investigadores, onde descobriremos mais sobre as personalidades deles e um outro que é mais ambicioso, um romance histórico ambientado em fins de 1944 e 1945, que retratará a dificuldade de nossos heróis da segunda guerra no front na Itália. Será um romance ficção entre fatos reais históricos, por enquanto é tudo que posso dizer (risos).

Publicar um livro no Brasil é um grande desafio. Qual o maior desafio que encontrou com a publicação do livro Rio dos Ventos?
Não digo que publicar seja o maior desafio. Acredito que o maior é ter uma boa distribuição, pois o mercado de livrarias, atualmente, é muito cruel com os novos escritores. Você pode ter uma boa história. Mas dificilmente terá o prazer de ver seu livro físico exposto numa livraria de shopping por exemplo.

As grandes editoras alugam espaços de visibilidade nas livrarias físicas, entregam títulos de famosos escritores em comodato, sem custo para as livrarias. Além de que a maioria das grandes editoras não ter um programa de lançar novos escritores. Os custos de divulgação acabam saindo por nossa conta. E por fim o escritor iniciante acaba por ter que arcar com um custo muito maior do que terá como retorno. Isto certamente desisti mula pessoa que podem estar com excelentes ideias de tramas em sua mente. O leitor brasileiro também deve procurar conhecer mais os escritores nacionais, assim como fazem os leitores países afora.

De onde surgiu o título “Rio dos Ventos”?
O Título tem tudo a ver com o desenrolar da história, é um dos mistérios a ser resolvidos pelo leitor. Sempre digo, nas conversas com meus leitores que o grande mistério do livro é entender as motivações que levam o ser humano a realizar coisas erradas, que somos fracos apesar da formação que temos, somos susceptíveis a tentações, e superá-las no dia a dia é um exercício constante.

Como você foi o processo de formação da personalidade do personagem Bernard?
Embora deixei sua idade em aberto para o leitor confeccionar mentalmente como seria sua imagem. Mas existem algumas pistas na trama que o remete a ser alguém ainda jovem, na faixa dos 30 a 35 anos. Mas bastante experiente e inteligente. Alguém que já tem se transformado em um mito entre seus parceiros e lhe traz inspiração para trabalharem bem. Vanessa, sua parceira no caso, foi construída de forma progressiva, à medida que a trama se desenrola ela vai crescendo e se tornando mais segura.

Quanto tempo levou para escrever o livro?
Foram quase 8 anos. Parei por motivos profissionais. Estive na coordenação técnica de um grande hospital na capital do estado por quase 4 anos e isto fez quase a história não sair. Entretanto, no inicio de 2016, meu pai, que já havia visto parte da história, me cobrou a continuidade. Infelizmente ele veio a falecer semanas depois, e tomei isso como algo que faria bem para mim e para ele. Gostaria muito dele ter visto como ficou após finalizado. Creio que de alguma forma ele deva estar vendo sim.

Você gosta de escrever em um ambiente silencioso ou escuta algum estilo de música enquanto escreve?
Na verdade, prefiro estar inspirado, as vezes estou de folga, dia calmo, mas sem inspiração. Eu consigo escrever ouvindo música ou TV, mas o que não pode faltar mesmo é acesso à internet. Escrevo sempre pesquisando muito.

Qual a sua maior realização como escritor nacional?
Já estou me sentindo realizado, pois vejo as pessoas me retornando, dando o feedback do livro e as resenhas estão sensacionais, acima da minha expectativa. Sei que tenho muita história para contar, minha cabeça fervilha com tramas, ficarei completo no dia que receber um convite de uma editora com uma boa distribuição nacional. Por enquanto sigo na luta.

Tem alguma coisa que gostaria de dizer aos leitores de seu livro?
Antes de tudo agradecer a receptividade e a coragem de investir em literatura nacional. Ainda vejo algumas pessoas que desconhecem totalmente até os clássicos nacionais. Mas está vindo uma geração aí com força suficiente para reverter isso e, por fim, fico muito agradecido.

Vejam as resenhas disponíveis do livro Rio dos Ventos na página inicial do blog.

 

 

KCKeslley Cremonezi foi considerada uma das romancistas mais nova do Brasil com mais de onze livros escritos, publicou o primeiro livro: O Sabor da Vingança aos 14 anos de idade e o livro Terra de Floreyviu – Encanto de Fadas um ano depois. Conquistou quase um milhão de leitores no ano de 2016 com o livro: A Noiva do Meu Irmão, publicado na internet. Hoje aos 17 anos é redatora publicitária com mais de três mil artigos publicados na internet, cursou Web designer e Marketing Digital. É resenhista e blogueira do Portal dos Leitores.